.

02/04/2011

Poderosa!

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Acordei hoje, mais uma vez, com a excessiva alegria domingueira do meu vizinho.

Ele adora despertar a si próprio (e a todo o bairro) com o som ligado num volume incrível, colocando a sanidade alheia em colapso quando aqueles ruídos ultrapassam o limite humanamente suportável de decibéis.

É impressionante como numa época de tantas qualidades e novidades musicais, com tanta coisa boa por aí, o cara ainda insiste (e faz tempo isso!) em colocar, quase todos os santos domingos, uma poderosa rainha do funk a cantar a todo volume e, provavelmente, a dançar rebolando a bunda, bem próximo à ainda adormecida janela do meu quarto.

Sacanagem. Nem novidade a música é mais.

Acho que ele tem algum problema. Desconfiômetro avariado, talvez. Perda de memória recente, quem sabe. Ou então, alguma namorada funkeira a quem ele dedica essa serenata matutina. Mas pela berraça amplificada da coisa, penso que ela não deva morar tão perto.

Se quiser falar de amor, fale com o Marcinho... Vou te lambuzar, te encher de carinho...

Não tenho bem certeza do roteiro do que eu sonhava quando fui tão rudemente despertada, mas com certeza a trilha sonora era outra.

...Em matéria de amor, todos me conhecem bem, vou fazer tu vibrar no meu estilo vai e vem...

Essa parte é a preferida dele. Ele canta junto. Fico a imaginar o gesto que acompanha a frase.

...Minha catita doida, vou te dar beijo na boca, beijar teu corpo inteiro, te deixar muito louca...

Decorei a música sim! Mesmo que nem quisesse ou admitisse isso. Até o cachorro do outro vizinho já sabe a melodia e uiva no mesmo tom.

Me virei na cama. Bufei. Falei um palavrão. Apertei os olhos e soquei o travesseiro na cabeça, na vã esperança de fazer sumir aquele baile funk do meu quarto. Tentei dormir mais um pouco. Mas a glamurosa foi mais forte que eu. Tocou uma, duas, três vezes, no mais compulsivo e indiscriminado uso da tecla repeat.

...O funk do meu Rio se espalhou pelo Brasil, até quem não gostava, quando ouviu não resistiu...

Não resisti mesmo, mas do pior jeito. Não é que eu não goste de música, pelo contrário. E talvez eu não me aborrecesse tanto se concordasse com aquele gosto musical.

...Remexe gostoso e vai descendo até o chão...

Era lá que estava a minha paciência. No chão. Pensei coisas inconfessáveis. Tentei afastar a irritação e controlar a vontade de abrir a janela e demonstrar toda a minha educação (ou a falta dela), procurando pensar que se eu não, pelo menos ele e o cachorro uivante estavam felizes com aquilo.

Foi-se o sono, a tranquilidade, a disposição de ficar na cama pensando a vida e contemplando o silêncio. Fui vencida. Levantei, joguei com força as cobertas pro lado.

Tomar banho, tentar não ouvir, arrumar o quarto, tentar não ouvir, organizar as coisas, tentar não ouvir, ir pra cozinha e tentar ouvir menos. De lá o som até que era suportável.

...Vem, vem dançar, empine o seu po... (!!)

Não sei qual foi o motivo. De repente, ele cansou, acho. Ou a homenageada pediu, lá da distância em que estava para, por favor, desligar aquilo. Acabou a festa, o barulho, o cachorro, a música. Suspirei aliviada. Abençoado silêncio!

Quase feliz, comecei a preparar o almoço. Ainda havia esperança de acontecer, enfim, um domingo tranquilo e silencioso.

De repente, do nada, alguma coisa fez compasso. O mesmo ti-tum, ti-tum de antes. Susto. Parei pra ouvir. Nada, tudo quieto. Foi só impressão, aleluia. Troço esquisito. Sacudi a cabeça, me concentrei nas batatas que descascava.

...Glamurosa, rainha do funk, poderosa, olhar de diamante, nos envolve, nos fascina, agita o salão, balança gostoso requebrando até o chão...

Ela estava ali, a poderosa! Instalada feito praga na cabeça. Me fazendo repetir, sem que eu quisesse, aquele bendito refrão e a acompanhar o ritmo com batucadinhas da faca com a qual eu cortava os legumes. Ninguém merece!

A causa eu sei. Lavagem cerebral deve ser semelhante. O efeito, tenho ideia, mas controle nenhum sobre ele. Tentei ficar triste pensando no que eu gostaria de estar fazendo nesse feriado e não pude. Tentei me distrair elaborando mentalmente tudo o que eu tenho a resolver essa semana, mas nada. Nada tirava aquela musiquinha poderosa em me despertar todos os domingos e que se grudou feito chiclete na minha vontade de me livrar dela.

...Se tu não curte o funk pode crê tá de bobeira, bote uma beca esperta e se junte à massa funkeira...

E até terminar o almoço eu já havia cantado a música umas cinco vezes. Mas não rebolei a bunda, juro!
.
.
.
Helena Chiarello
.
.
(Publicada em 2009, no Recanto das Letras. E relembrada agora, por conta de um "vizinho novo" com hábitos semelhantes...)
.

22 comentários:

Ana Paula disse...

Helena! Será que somos vizinhas e eu não sabia disto?
Estou aqui torcendo para o seu cérebro se recuperar de tal invasão... seus legumes não merecem ser cortados nesse ritmo!!! Beijo

✿ chica disse...

rssss...foi bom reler essa maravilhosa c^^onioca de vizinhos sem desconfiômetyro...rrsars

São umas pragas mesmo!!!

E o pior é que as músicas ficam na cabeça martelando,srrs

beijos,lindo domingo, sem chatices e no melhor silêncio!!!chica

Gaivotadourada22 disse...

Minha nossa, Lê! Corre e coloca uma música de verdade para tirar isso da cabeça... Ninguém merece, muito menos você que possui uma sensibilidade iluminada... Por favor, não se deixe contaminar por essa porcaria... rsrsrs!!! Entretanto, já que você passa por isso, faça mais um pouquinho de penitência... Vá ao fim da página do gaivota22 e assista a um vídeo que postei. rsrs... Garanto que o soifrimento vai ser bem menor. Um beijo grandão, minha Amiga Do Coração!!!

manuela barroso disse...

Oh! Helena!...
Desculpe...mas não posso disfarçar este meu sorriso...Riso! Rss
A forma extraordinária como nos conta este "desconforto"...é uma crónica formidável para acordar esta melancolia portuguesa! Ehehe!
Não é que estava a lê-la...e ver até onde a levava este incrível e insólito despertador?..
Ah! mas o refrão...é daqueles que dão para mexer a "bundinha", né?
E estava a vê-la com a batata na mão...O seu inconsciente rendeu-se finalmente! Fazer o quê? "Se não podes, junta-te a eles..." E toca a dançaricar(a palavra existe? Rs)
Bem,Heleninha, uma coisa é certa...A menina é boa em tudo o que faz, em tudo o que pensa, em tudo o que escreve...
E desculpe...embora a fizesse sofrer...valeu esta crónica!
Sabe como dizem cá?
"Tá bestial"!
E fico a sorrir, menina!
Grande abraço
Até ao próximo domingo...para outra musiquinha!!!!

Antonia Ivani disse...

Olá Helena, eu concordo com a gaivota Dourada.
Você deveria colocar uma música linda, que você goste muito, e também em alto som, para superar a outra e te fazer feliz, já que não dá pra dormir mais.
Provavelmente os vizinhos não irão gostar, mas, já que é para acordar....
Uma chatice isso. Tenho um vizinho de apartamento que ouve "bate estaca" no máximo também, mas ele respeita os horários. Só não respeita os nossos ouvidos.
Beijos Helena, adorei sua crônica.

Anne Lieri disse...

KKK...Desculpe Helena,mas ficou divertida sua cronica!Quando eu morava em casa tinha um vizinho assim,que ficava lavando o carro com o funk no ultimo volume!Agora,moro em apt. e o pessoal aqui é mais velho,mais sossegado,graças á Deus!Ninguem merece,amiga!Chama um homem bomba e manda lá pra casa dele...rsss...bjs,

Anne Lieri disse...

KKK...Desculpe Helena,mas ficou divertida sua cronica!Quando eu morava em casa tinha um vizinho assim,que ficava lavando o carro com o funk no ultimo volume!Agora,moro em apt. e o pessoal aqui é mais velho,mais sossegado,graças á Deus!Ninguem merece,amiga!Chama um homem bomba e manda lá pra casa dele...rsss...bjs,

Anderson Fabiano disse...

stella mia,

bem sabemos o quão complicado é tentar escrever algo aproveitável com um berreiro baixo nível desses por perto. rssssss

mas, façamos assim: da próxima vez que uma funkeira ou rapeira ou sabe lá Deus o que ainda tem de ruim nesse mundo pra encher nosso saco acontecer, combinemos com São Pedro uma outra tempestade como a do outro dia que, mesmo ficando sem energia em casa, poupamos nossos santos ouvidinhos. rsssss

amo você, poetinha!

barba

Triste Flor disse...

Ai que saudade,como sempre escreves divinamente...ainda bem que não tenho vizinhos rsrs, Um beijãoooooo com muitas saudades.
Te amodoro muito viu? mesmo estando nós tão ausentes,sinto a tua falta, falta das nossas conversas e risos, sei que está bem, que está feliz e isso me deixa feliz por demaisssssss, adoro vc, muitão

Beijoooo

fabiofan disse...

Eu moro perto de um instalador de som afff maria,a musica fica na cabeça não tem jeito,mas me diga uma coisa não rebolou mesmo?? rsrsr

um abraço Fabio

http://fabiofan09.blogspot.com/

poesias

Long Haired Lady disse...

minha avó dizia: Deus te livre de um mal vizinho!

Cadinho RoCo disse...

Sem o rebolado a lembrança se protege da tentação.
Cadinho RoCo

mundo azul disse...

______________________________

...ahahahahaha!!! Ri com gosto lendo o seu texto... Muito bom!

Ainda bem que tenho vizinhos maravilhosos! Nunca ouvem música muito alto.

Beijos de luz e o meu carinho especial!!!

___________________________

Majoli disse...

kkkkkkkkkkkkk
Por que não vim aqui antes?
Querida, ri deliciosamente, e é claro fiquei a cantarolar esse funk, que cá entre nós, NINGUÉM MERECE.

Só espero que, daqui a pouco, quando eu for para o fogão, não ferre a cantarolar isso, Deus me livre.

rsrsrsrs
Beijos e por favor, não rebole, coloquei uma câmera escondida na sua cozinha.
kkkkkkkkkkkkkkkk

Márcia Parente Sena disse...

kkkk quem não tem um vizinho assim?!!! kkkk
bjus
FELIZ PÁSCOA!
Márcia *-*
http://viajapensamentos.blogspot.com

Leninha disse...

Amiga Helena,foi o vizinho que fez com que você desaparecesse???Onde voce anda que não aparece mais para visitar sua xará que anda tão carente?Dê um sinal de vida,please...Beijos,Leninha

Ivani disse...

Ei poderosa! o que está acontecendo com você? anda muito sumida!
espero que esteja tudo em ordem.
Será que anda postando em outro blog que não conheço?
Dá noticias, estamos com saudade!
beijo, bom fim de semana, dia das mães fantástico, etc. etc....

wcastanheira disse...

Uauua uma bela postagem , um texto inteliogente e provocante ate o final., deveria rebolar a bunda é tão excitante uma reboladinha, pra vc minha linda bjos, bjos e bjosssssssssss

✿ chica disse...

Volto aqui pra desejar um lindo dia, agradecer sempre também...Teus carinhos em cada visitinha ficam marcados... Adoro!

Hoje demorei pois estou numa enrolação, pareço uma lesma,srrs , ou melhor, uma lesma correndo...beijos,chica

Su disse...

Helena, desculpa, sei que é grave o assunto, pois abomino "funk" também, dá até arrepios só de escrever a palavrinha acima... rs...
Mas vou te dizer uma coisa, comecei o dia chorando (de verdade) e estou terminando rindo muitooooo imaginando cada cena da sua narração aqui...kkkk... Você é perfeita!!! Sua crônica ficou tão autêntica e tão engraçada, "tragicômico"... Fui preparar o jantar e comecei a rir sozinha na cozinha... ainda bem que meus vizinhos são calminhos... Bem, como diz minha professora de neuropsicologia, quando uma música insuportável ficar na sua cabeça, não hesite... cante, cante e cante umas 3 vezes, que ela vai embora, já fiz o teste e deu certo... vai aí uma dica... mas espero que não aconteça outra vez... Helena, andei tristinha mesmo esses últimos dias, hoje de manhã quando li seu post choreiiiiii porque fiquei muito emocionada, mas me fez um bem tremendo e assim fui para a escola e melhorei. Anotei seu e-mail, obrigada! Estou com uma baita alergia, super "somatizada"... mas agora estou aqui rindo com você minha amiga tão querida e especial! Beijinhos dançantes... "se tu não curte funk pode crê tá de bobeira..." kkkk... Su!!!

p.s.: Escreve maissssss!!!!Sua veia "cômica" é ótima!!!

Catia Bosso disse...

Estou conhecendo todos os seus cantos... rsrs são muitos! kkk
Mas são todos um encanto!

bjs


Gostando... mas nao to conseguindo seguir, ta fora do ar...

bj

✿ chica disse...

Vim desejar uma linda tarde e agradecer os carinhos! Beijos,tudo de bom,chica