.

06/07/2009

Catarse

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal
.
Algumas pessoas não conseguem entender
de onde surgem as coisas que escrevo.
É simples. Eu invento.
A grande maioria desses escritos
não tem origem emocional,
ao contrário do que possam pensar
alguns maliciosos desavisados.
Apenas viagem de idéia desocupada.
As coisas surgem no pensamento
e a mão, obediente, registra.
Escrevo o que penso, a forma como sinto.
Se meus erros são físicos,
minhas respostas são emocionais.
Ou vice-versa.
E se curam com palavras.
Escritas ou ditas.
Não aprendi a ser diferente.
Adoro transformar
uma dor de tijolo caído no pé
numa dor de coração partido.
Talvez insanidade, coisa da idade.
Quem vai saber o porquê disso?
Nem eu mesma sei...
Uma vez disse a um amigo
que escrever era catarse.
Talvez eu esteja fazendo uma
"catarse emocional" daquele tijolo físico
que me caiu no pé um dia desses.
Ou "catarse física" de algum tijolo emocional?
Deixe que pensem o que quiserem.
Escrevo, porque a palavra é livre.
E se a (minha) palavra é livre,
o pensamento (dos outros) também é...
.
.
Helena Chiarello
.

4 comentários:

Raquel Oliveira disse...

EScreva livre como sempre...
cada vez mais intenso formando sentido aos que leem aqui.
bjos

Escrevo Palavras e choro poemas disse...

Minha querida, tudo q vc escreve é lindo e mágico por isso me apaixonei nesse blog! boa noite!

Triste Flor disse...

Lindoooo, Helena, e sentimentos bastam, qndo deixamos ele solto, livre das amarras que nos colocamos por vezes por falta de coragem de apenas sentir, oude deixar o sentimento fluir, como sempreeee maravilhosooooo, amoooooo, bjus tantos nesse coração, adoro vc, bjusssss lindaaa

Chica disse...

Espero que sempre continues a escrever assim, tão do teu jeitinho e tão lindo.beijos,chica