.

14/04/2009

Aqueles dias, saudade...

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Hoje corri criança, 
na lembrança que veio,
subiu escada,
brincou jardim,
morou a casa e infância de um dia.

Era doce o cheiro da vida,
do pão no forno,
da roupa limpa no varal,
dos afazeres dedicados,
daquela casa.


Era sagrado o som do trabalho,
das ferramentas pesadas,
do ofício árduo,
da incansável rotina,
daquela oficina.

Era sério o olhar corrigindo,
firme a voz
conduzindo
os dias difíceis
de família grande.

Mas eram francos os sorrisos
de alegria simples,
onde tudo se repartia,
gestos do amor
que era o bem maior.

Eram mágicas as noites reunidas
de fé compartilhada,
de visitas bem-vindas,
de histórias contadas,
de sonhos embalados
por mãos que costuravam
roupas e esperanças
e por outras mãos, cansadas,
que tiravam música
de um acordeom...

Hoje corri criança
ao encontro da alegria
que se perdeu pelos tempos,
nos ventos de empinar pipas,
nos céus de contar estrelas,

nas noites de brincar de susto,
nos banhos de rio esquecidos,
nas chuvas, nas tardes,
nas ruas de barro,
nas areias de castelos deixados...

                                 Vozes, dias, vida, sonhos...
                                 Hoje corri criança
                                 na lembrança que veio,
                                 subiu escada,
                                 brincou jardim,
                                 morou a casa
                                 e a alegria de um dia...


                                 E chorei.
                                 Choro vivo,
                                 de pura saudade...

.
.
Helena Chiarello
.
.
Foto (montagem): Helena Chiarello

17 comentários:

Whesley Fagliari dos Santos disse...

Olá grande luz,

Este seu poema me emocionou profundamente, sabia? Obrigado por mem despertar coisas que deixei caídas pelo caminho...

Ah, estou trabalhando em um texto em prosa que fala muito do que o seu falla, então, me inspirarei tb no seu, que é maravilhoso...

Com apreço imenso,

Whesley Fagliari - Amigo da Sofia

gaivotadourada22 disse...

"Aqueles dias, saudade..." dias que todos temos, estruturando e animando a Alma... dias, cenas que na verdade, hoje, somos nós! Esse nós que nos imprime ser o que somos, amar o amor que recebemos, para poder doar amor em tempos vindouros...o "vindouro que é o hoje que percorremos... Ah! Aqueles dias, saudade... Minha querida Amiga, em cada verso minha alma também recordou aqueles dias meus, caminho percorrido, e que hoje, ao te ler, na lembrança revivido! Lindo, lindo...como é valiosa, sempre, as visitas em tuas páginas!
Você sabe, aqui mais uma v! linda e carinhosamente merecida!
Beijos Lê!

gaivotadourada22 disse...

Ainda te aplaudindo, em especial anotação,... parabéns pela imagem, pela emoção que sensibilizou a arte, mostrando a amorosidade e a poesia que é você! Beijos Lê!

Chica disse...

Essa poesia emociona a todos nós.Linda e traz um pouco de todas as nossas lembranças e saudades. Parabéns, aplaudindo de pé!!!um beijo e sabes que éd demais,não?chica

Larissa disse...

Hoje eu corri criança lendo esse poema lindo. Amor puro! :*

Úrsula Avner disse...

Oi Helena, que encantador e doce versejar que me trouxe agradáveis lembranças de minha infância e saudades de minha mãe... Lindo e suave texto poético. Obrigada pelo carinho de sua visita. Bjs na alma.

AC Rangel disse...

Teu lindo poema também me fez lembrar daqueles meus dias...E que saudades. Amei, mesmo com tantas dificuldades...

beijo

Isabel José António disse...

Querida Amiga Helena Araújo,

Lindíssimo poema sobre as recordações que todo mundo tem.

Parabéns.

José António

mcg disse...

Que lindo Helena, me lembrei da minha infÂncia, corri na lembrança, e me vi de novo tão cirança a subir nas arvores, a brincar no campo, a ver família reunida, tão bom né? se o tempo voltasse a como eu queria que ele se eternizasse ali, naquela época, naquelas horas, que tanto me fez be,, que tanto me fez ser gente, ser criança, ser amada, ser família, dói a saudade desses momentos tão bons, dessas recordações que nunca sairá do coração, lindo demais, bjusssss linda

Roberto Ney disse...

Que lindas memórias...
poesia leve e agradável ao pensamento... trás boas idéias e energias positivas.
grande abraço!

Isabel José António disse...

Querida Helena!

Que texto belíssimo, tocante, comoverdor! Que maravilha de escrita e que história pungente pinta perante nossos olhos! Parabéns, que maravilha!

Olhe, deixei nos Haikai de Gaivota 22 um comentário a uma imagem sua BELÍSSIMA também!

Parabéns.

Já temos novos posts em todos nossos blogues, incluíndo na Newsletter from Lisbon.

Até breve,

Isabel

Anne Lieri disse...

Helena,seu coração de criança retornou nessa belíssima poesia deixando na boca um gosto de caramelo e nos corações o mel de suas palavras!Simplesmente maravilhosa essa sua poesia!BJS,

Roberto Ney disse...

Obrigado pela visita!
passarei aqui mais vezes para conferir teus poemas e tuas palavras...
grande abraço!

Valdemir Reis disse...

Olá Helena estou visitando este espaço. Parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido. Gostei da expressividade do poema. Belissimo, uma maravilha, encantado, valeu ter pasado aqui. Feliz e honrado por sua amizade. Temos um PRÊMIO lá no blog wwww.valdemireis.blogspot.com, fique a vontade, se gostar leve o seu, muito obrigado! Assim acredito aquele que caminha sozinho pode até chegar mais rápido... Porém quem segue acompanhado de um amigo com certeza vai mais longe... Espero sua visita! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Votos de uma semana recheada de sucesso, muita paz, saúde, brilho, bênçãos, proteção e alegria. Fique com Deus. Um abraço fraterno.
Valdemir Reis

Triste Flor disse...

Cá estou a chorar saudades, hj eu estou chorona de lembranças e memórias...esse poema é perfeito, emociona... te gosto um tantoooo, bjus

AC Rangel disse...

Linda poesia. Com um gosto de saudades... Tbém sinto saudades de coisas deliciosas, maravilhosas... E mais recentes que as tuas...
Beijo

Rangel

Anônimo disse...

Sensacional, Poeta ! Beijos. cria.