.

12/11/2008

Coração... Peça de reposição?

Foto-montagem: Helena Chiarello

.__.___Às vezes fico pensando e até me ponho a rir diante de algumas ideias absurdas e divertidas que me vêm à mente.
______Passando, hoje, em frente a uma loja, olhei distraída para os objetos expostos na vitrine. Eram peças de reposição, de todos os tipos.
______Não parei para olhar, mas à passagem percebi que havia uma infinidade delas. Na maioria, de equipamentos eletrônicos. Todas arrumadinhas, com cartazes e etiquetas de preços e ofertas, em displays convidativos.
______Não consegui deixar de rir diante do pensamento: bem que poderia existir uma loja assim, para a reposição de “peças” que não funcionam bem no corpo humano. Uma loja atraente, colorida, bem decorada, com vários departamentos e solícitos atendentes prontos a te colocar nas mãos a “oferta do dia”.
______Acho que eu me divertiria muito passeando entre as estantes e expositores de uma loja assim. Adoraria visitar todas as sessões, mas, com certeza, me sentiria atraída especialmente para uma delas.
______Procuraria a sessão “coração”. Os de verdade.
______E os veria aos montes, de todos os tamanhos e tipos e para todas as necessidades. Estariam cuidadosamente organizados em sequência, alguns embrulhados em papel celofane, outros pendurados em móbiles atrativos, ou acomodados em caixinhas decoradas para presente.
______Eu pararia diante dessa diversidade e escolheria um.
______Primeiro, observaria atentamente se ele passou por um rigoroso controle de qualidade, que comprovasse e garantisse seu perfeito funcionamento.
______Depois, testaria sua durabilidade e capacidade de resistir a impactos.
______O próximo passo seria perceber-lhe a densidade. Teria que ser resistente, mas deveria ser também suave e macio. Obrigatoriamente pequeno para caber no peito, mas suficientemente grande para guardar uma infinidade de sentimentos bons. Um filtro seria um opcional importante, para permitir que se livrasse brevemente das coisas que entrassem nele e que poderiam insistir em permanecer lá dentro.
______Seria ótimo que, além de tudo, também tivesse uma versão com alarme, para avisar com um sonoro “bip” quando estivesse exposto a situações de perigo que pudessem vir a comprometer irremediavelmente a sua integridade.
______Iria exigir, por fim, um certificado de garantia. A qualquer falha, poderia ser imediatamente substituído por um modelo novinho em folha.
______Nem perguntaria o preço, porque pagaria seu peso em ouro. Na hora de embrulhar, o atendente perguntaria: para presente?
______Eu responderia: Não. É para uso próprio. Mas, por gentileza, coloque-o em uma embalagem longa vida. E à prova de lágrimas, decepções e dores...
.
.
Helena Chiarello
.

4 comentários:

gaivotadourada22 disse...

Com certeza eu seria cliente dessa loja também...creio mesmo que o coração seria a peça mais buscada...já pensou, um coração sem tristezas, sem mágoas, sem sudade, sem dor...que já viesse regulado para a compaixão, alegria, perdão e amor...
Maravilha de texto Lê,
parabéns! Adorei, beijos!

chica disse...

O que dizer diante de um texto assim? Lindo,Helena! Muito lindo! Todos nós gostaríamos de frequentar uma loja assim... Há algumas pessoas que precisariam passar lá pra trocar a cabeça, fazê-la mais leve...
Outras, como nós, preferimos mesmo o coração. E teria que passar por todos esses olhares, ser bem transparente para que pudéssemos vê-lo em detalhes.
Poderia ter ainda, um compartimento que à medida que fosse sendo usado, fosse se alargando, pois ali seria colocada nossa Paz e para lá devíamos voltar sempre, a cada vez que do lado de fora, ela estivesse à perigo... Muito bom teu pensamento todo,guriazinha! um beijo,chica

Polêmica disse...

A humanidade precisa de uma loja dessas (rs)...temos que trocar nosso corações por novos corações de mais qualidade e com garantia. Bom seria também se existisse uma oficina para consertar corações partidos, desesperançosos, fechados!

Beijão

Ellen Veloso Soares disse...

Uma loja dessas iria fazer muito sucesso, hein? Por enquanto... o que nos resta é tentar ir modificando o nosso mesmo... costurando aqui, fazendo uns arremates ali, esticando a parte melhorzinha... passando um remedinho.. e respirando fundo diante de cada adversidade! Eu nem sei bem se gostaria de deixar o meu de lado. Acho que não. É que ele custou a aprender certas coisas... daí a começar do zero... afff! Tem também o risco de adquirir algo "garantido e certificado" que pode ser bem falsificado.. Não sei se daria para saber.. Acho que não iria me arriscar!! Rsrsrsr... Valeu, flor, por mais esse lindo texto que nos levou a viajar.. a imaginar.. Adooooooooooooooro!! Beijão! Até..