.

12/09/2009

Passado

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal
.
Do que eu diria ao passado já se apagaram os pormenores.
E talvez nada tenha a dizer.
Até porque algumas palavras já se tornaram
só um borrado indecifrável, como pensamentos articulados
pateticamente numa carta antiga que alguma coisa molhou
e o tempo se encarregou de secar.
.
Houve um tempo em que até diria
                                                             [ao passado]

que ele não se deu conta de coisas importantes.
Não cuidou de lealdades, de trocas justas.
Escolheu facilidades, superficialidades,
emoções fúteis e disponibilidades.
Não valorizou dedicações
e fez pouco caso de sentimentos e sinceridades.
Até diria que seu engano maior foi menosprezar razões,
subestimar inteligências
e acreditar demais em si e no que julgou perenidade.Mas corre o tempo e tudo muda.
E há dias aos quais não se deseja voltar.
.
O que tenho a dizer
                                                             [ao presente]

é tudo o que agora importa.


Já era hora de ser assim.
Já era hora de sorrisos e mãos dadas.
De falar sobre a maciez das coisas.
De ver claro e de frente, sem a luz ferir os olhos.
De caminhar suavemente pelas emoções,
sem raivas e sustos,
sem ironias escondidas em cantos escurecidos.

De fazer planos e esperanças,
de partilhar confianças e verdades.
.
Já era hora de percorrer
                                                                    [o futuro]


como um caminho largo de amor e vida.
E de abraçar as felicidades que me fazem virar as costas,
tranquila e silenciosamente, àquela sombra que deixei pra trás.

Ao presente, dou certezas.
Ao futuro, mãos estendidas.
E ao passado, indiferenças e silêncios.
[Que é onde cabe tudo o que não precisa ser dito].
.
.
Helena Chiarello
.
.

6 comentários:

Gaivotadourada22 disse...

Comentar aqui minha amiga é abraçar você por cada letrinha escrita, cada palavra dita ao colocar o que o coração sabiamente sente! Um texto digno de ser lido e relido, pois transcende e tem um ensinamento maravilhoso... Dizer sempre aquilo que está vivo, que tem luz, música e deixar no silêncio o que já se apagou, o que já passou...
Um beijo grande no teu Poeta Coração, minha Querida Amiga!
v! v! v!

Anne Lieri disse...

Helena,muitas vezes precisamos desse silencio para encontrar novas palavras!Lindo seu texto!Bjs,

ONG ALERTA disse...

O passado ja foi futuro, se tornou presente e agora ja não existe mais, mas deixa grandes recordações no coração.

Cleoni disse...

Que alguns passados, principalmente os que preferimos ter esquecido, fiquem também em silêncio.
E que o coração só guarde as recordações boas, de preferência as do presente que podem ser um maravilhoso futuro.
Assino em baixo desse texto!! rsrs
Bjusss

HEITOR disse...

Estou conhecendo os seus Blogs.
E a cada descoberta, me vejo mais surpreso e admirado!
Estão nos MEUS FAVORITOS para novas e constantes visitas.
Meu abraço, Helena.
HVillaS.

sagher disse...

"Ao presente, dou certezas.
Ao futuro, mãos estendidas.
E ao passado, silêncios.
[Que é onde cabe tudo o que não precisa ser dito]."

e eis que está tudo dito

sublime